IV ANAPIRATA: Programação

Programada para os dias 05, 06, 07 e 08 de novembro, a IV ANAPIRATA será a primeira edição da Assembleia Nacional do Partido Pirata realizada de forma online. Serão diversos painéis que contarão com a presença de associados do Partido Pirata e de convidados especiais além dos espaços para discussões internas.

As inscrições deverão ser feitas através do site https://anapirata.partidopirta.org/

Veja a programação:

05/11 – Sexta-feira

19h – Abertura

20h – Entrando na mente: Como usar os jogos digitais nas lutas políticas?

Daniel Valentim apresenta como os jogos digitais podem ser aliados (ao invés de obstáculos) na formação da consciência crítica e do olhar reflexivo.

Apresentação:

Daniel Valentim – Licenciado em Ciências Sociais (UECE); Mestrado e Doutorado em Sociologia (UFC). Idealizador do jogo Lutas Simbólicas e do coletivo Sementes Digitais.

Sábado

06/11 – Sábado

11h – Projeto “Chame a Frida”

Experiências no uso de tecnologias digitais no atendimento às vítimas de violência doméstica e justiça restaurativa.

Participantes:

Ana Freitas – Engenheira Civil, ativista por direitos digitais e ciberfeminista.

Ana Rosa – Bacharel em Direito, Pós-graduanda em violência doméstica, policial civil e idealizadora do projeto “Chame a Frida”.

Raiane Ferreira – Psicóloga, pós-graduada em dependência química e pós-graduanda em violência doméstica e idealizadora do projeto “Diálogos sobre Masculinidades: grupo de reeducação e conscientização para homens autores de violência doméstica”.

Sara Assis – Psicóloga, pós-graduanda em violência doméstica e psicóloga na APAC de Manhumirim e idealizadora do projeto “Diálogos sobre Masculinidades: grupo de reeducação e conscientização para homens autores de violência doméstica”.

14h – Combatendo o negacionismo com ciência

Os desafios de fazer ciência em tempos de negacionismo, e como a anticiência interfere em nossas vidas.

Os danos causados pelos excessivos cortes na Ciência no Brasil e a importância da pesquisa como ferramenta para a construção de uma sociedade crítica, autônoma e apta a produzir conhecimento.

Participantes:

Adauto Lima Cardoso – Biólogo doutor em Genética (UFPA, UNESP) e Pedagogo (UNICESUMAR). Atualmente realiza pós- doutorado (UNESP-FAPESP).

Jordana Oliveira – Formada em Biologia (UEPG), mestre e doutoranda em Genética (UNESP), divulgadora científica nos perfis @voandoaltociencia e @ciencia.brasileira.

Camila do Nascimento Moreira – Bióloga, Doutora em Genética pelo Instituto de Biociências – USP. Atualmente pesquisadora de Pós Doutorado no Instituto de Biociências da UNESP, Botucatu.

18h – Do Napster aos serviços de streaming e pirataria

Tal mesa tratará das transformações da indústria fonográfica: das mídias físicas e mercado tradicional ao streaming e distribuição independente, além dos impactos sobre artistas e público no contexto atual. O intuito aqui será debater a questão da democratização do acesso aos bens culturais, levando em conta a perspectiva dos músicos também, sobre como é a experiência de fazer música na era digital.

Participantes:

Felipe Machado – Editor de Cultura da revista Istoé, fundador e guitarrista da banda de rock VIPER

Felipe Payão – Editor de Conteúdo Original e Cibersegurança no TecMundo

Nanashara Piazentin – Advogada, mestranda em propriedade intelectual. Coordenadora de cultura livre do Creative Commons Brasil

Paulo Rená – Professor e pesquisador, foi gestor da elaboração coletiva do Marco Civil da internet

21h – Estrutura Nacional do Partido Pirata

Prestação de contas da atual gestão do Partido Pirata, seguindo exigências estatutárias e início da votação para a gestão 2021-2023

07/11 – DOMINGO

11h – Discussão Interna

14h – Educação Hacker

Recorte de uma pesquisa de doutorado, em fase de defesa, o painel apresenta a cultura hacker como outro mundo possível para a conscientização ativista na educação que investigou as possibilidades de abertura dos ambientes educacionais, por meio da educação hacker. O campo se deu numa escola pública e a metodologia se inspirou na “Pesquisa Formação na Cibercultura” (SANTOS, 2014). A tese propôs uma ampliação do conceito de Hacker para se pensar uma Educação Hacker.

Apresentação:

Elisiana Candion – Mãe do Gil e do Thomas. Professora de Arte na rede estadual de Minas. Mestra em Arte, Cultura e Linguagens pela Universidade Federal de Juiz de Fora e doutoranda em educação pela mesma instituição. Estuda as relações entre a cultura hacker e o campo educacional

18h – A importância dos HackerSpaces para o engajamento e formação política

O painel apresenta a Cultura Hacker como um outro mundo possível para a conscientização ativista, a partir de possibilidades educacionais materializado em HackerSpaces. Tese vencedora do prêmio Capes como melhor tese de Educação de 2019, a pirâmide da pedagogia hacker tem quatro faces específicas e inter-relacionais: uma técnica, uma afetiva, uma ideária e uma política.

Apresentação:

Ka Menezes – Pedagoga. Professora da Faculdade de Educação da UFBA (FACED/UFBA). Doutora em Educação pela FACED/UFBA. Integrante do Raul Hacker Club de Salvador-BA, idealizadora do “Crianças Hackers”. Mãe do Ian.

Man Filho – Ativista, pirata, hacker, sócio do Raul Hacker Club, estudante de Engenharia Elétrica (UFBA), tem formação avançada em Programação em Neurolinguística, experiência em Segurança da Informação, Engenharia Social e Desenvolvimento Humano.

21h – Hardware Livre

Uma discussão sobre os paradigmas de produção e consumo de hardware, que transformam o hacker de fundo de garagem em inovador em potencial, e o papel dos Hackerspaces e demais coletivos de tecnologia na adoção e popularização do hardware livre.

Apresentação:

Joel Grigolo – Sociólogo (UFRGS) e membro fundador do MateHackers, é reconhecido no meio Hacker/Marker como entusiasta de eletrônica e embarcados bem como ativista do conhecimento livre. Geralmente encontrado ao longo dos últimos cinco anos torturando plateias universitárias no RS, SC, MG ou Alemanha e Argentina. Foi o idealizador e executor do Cine Theatro Remix, possui obras em conjunto com o artista plástico Estevão da Fontoura(em exposição no MARGS) e solucionador de criatividade tecnológica para diversos outros artistas.

08/11 – SEGUNDA-FEIRA

19h – O menino da internet

Transmissão do documentário “O Menino da Internet: A História de Aaron Swartz” em homenagem ao aniversário de Aaron Swartz. Na sequência, mesa redonda sobre colaboratividade, compartilhamento e direito do acesso à cultura e informação

Participantes:

Chico Prates – Tecnólogo em TI, integrante do Partido Pirata há quase 10 anos. Ativista e entusiasta de software e hardware livre e da livre circulação do conhecimento.

Cybelle Oliveira – Pesquisadora do que acontece na malwarelândia, crazy cat lady, ativista e defensora da privacidade. Uma das diretoras da Casa Hacker, faz parte da comunidade Mozilla e é embaixadora/ curadora do Mozilla Festival.

Joel Grigolo – Sociólogo (UFRGS) e membro fundador do MateHackers, é reconhecido no meio Hacker/Marker como entusiasta de eletrônica e embarcados bem como ativista do conhecimento livre. Geralmente encontrado ao longo dos últimos cinco anos torturando plateias universitárias no RS, SC, MG ou Alemanha e Argentina. Foi o idealizador e executor do Cine Theatro Remix, possui obras em conjunto com o artista plástico Estevão da Fontoura(em exposição no MARGS) e solucionador de criatividade tecnológica para diversos outros artistas.

Leo Foletto – Jornalista e pesquisador, editor do BaixaCultura, cordenador geral do Creative Commons Brasil e autor de “A Cultura é Livre” (2021).


Deixe uma resposta

Notice: Comments reflect the opionions of those who did wrote theme. Allowing people comment here, doenst mean, that we also agree with them.

Your email address won't be displayed. Required fields are marked with this sign: *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

More information

Arquivo de posts