Celular, violência e abuso policial

O celular assumiu nos últimos anos papel de destaque nas denúncias de crimes. O exemplo mais recente no Brasil mudou a história da morte de Eduardo Felipe Santos Victor, 17 anos, na manhã de terça-feira (29/09), no morro da Providência, Rio de Janeiro.

Não fosse o vídeo gravado por uma moradora da Providência pelo celular, que mostra policiais militares forjando um tiroteio e colocando uma arma na mão do adolescente já morto, muito provavelmente a fraude processual dos PMs da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) local jamais teria sido comprovada.

Antes da divulgação da filmagem, o caso estava sendo registrado como mais um homicídio decorrente de intervenção policial, o chamado “auto de resistência”. Não haveria, portanto, qualquer implicação legal para os PMs envolvidos. Com a nova prova, a Delegacia de Homicídios passou a investigar a ocorrênciaNo dia seguinte, a juíza Maria Izabel Pena Pieranti se baseou nas imagens para  decretar a prisão preventiva dos militares.

Outros casos recentes

Policial atira em manifestante do Ocupe Estelita em Recife

Em vídeo publicado na última sexta (2/10) é possível ver quando os manifestantes tentam passar pelos policiais com uma faixa do movimento Ocupe Estelita, e levantam o tecido para não encostar nos agentes. Parte da faixa acaba tocando a cabeça de um dos militares, que revida com o disparo.


Policiais empurram suspeito de telhado em São Paulo

Um vídeo gravado por um morador do Butantã, na zona oeste de São Paulo, mostrou o soldado Fábio Gambale da Silva, da Rocam (Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas), empurrando um suspeito, no mês passado. Em seguida, dois tiros foram disparados. Por conta das imagens, dez policiais suspeitos de participar do crime foram presos administrativamente pela Corregedoria da Polícia Militar paulista.

 

Mulher é arrastada por carro da PM no Rio

Em março de 2014, a auxiliar de serviços gerais Cláudia Silva Ferreira, 38, foi baleada durante uma operação policial no Morro da Congonha, na zona norte do Rio de Janeiro. Ferida, ela foi colocada no porta-malas de um carro da PM e, no caminho para o hospital, acabou sendo arrastada por cerca de 250 metros. A cena foi flagrada por um cinegrafista amador. Os policiais envolvidos foram expulsos e a família foi indenizada.

 

Caminhoneiro grava PMs cobrando R$ 200 de propina

Com um aparelho celular, um caminhoneiro filmou policiais militares do BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária), unidade da PM do Rio, recebendo R$ 200 de propina depois que o motorista foi parado no Arco Metropolitano, em maio deste ano. Segundo o condutor, os PMs exigiram o dinheiro para que o veículo não fosse autuado e levado para o pátio da corporação por problemas de documentação. Os dois militares envolvidos na ação foram presos em caráter administrativo e passaram a responder a um Inquérito Policial Militar.


Deixe uma resposta

Notice: Comments reflect the opionions of those who did wrote theme. Allowing people comment here, doenst mean, that we also agree with them.

Your email address won't be displayed. Required fields are marked with this sign: *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

More information

Arquivo de posts