Diretor da NSA admite ter mentido sobre o impedimento de 54 planos terroristas

notícia original publicada em 15 outubro de 2013 na The State Weekly por Noel Brinkerhoff

O  chefe da Agência de Segurança Nacional (NSA) admitiu perante uma  comissão do Congresso nesta semana que mentiu em Junho quando  afirmou que o programa de vigilância telefônica da agência havia frustrado 54 “planos ou atentados” terroristas.

O  diretor da NSA Keith Alexander deu a informação errada enquanto a  administração Obama defendia suas operações de espionagem domésticas expostas pelo denunciante Edward Snowden. Ele  disse que os dados de vigilância armazenados que levaram a 53 dos 54  planos haviam fornecido as pistas para “desvendar o fluxo de ameaças.”

Mas  o senador Patrick Leahy (D-Vermont), presidente do Comitê Judiciário do Senado, disse na quarta-feira durante uma audiência sobre a supervisão contínua do Foreign Intelligence Surveillance Act (Lei para a Vigilância  de Estrangeiros – FISA) que o governo estava emitindo declarações  incompletas ou imprecisas sobre a coleta em massa de registros  telefônicos de prestadores de serviços de comunicação.

“Por exemplo, nós ouvimos várias vezes que 54 planos terroristas foram frustrados pelo uso dele (deste programa)”, disse Leahy. “Isso é simplesmente errado”, acrescentando: “Eles não eram planos e não foram todos frustrados.”

Alexander admitiu que apenas 13 dos 54 casos estavam ligados aos Estados Unidos. Ele também disse ao comitê que apenas um ou dois planos suspeitos foram  identificados como resultado da coleta a granel registros telefônicos.

Leahy não estava feliz. “Fomos informados de que devemos [conduzir uma vigilância telefônica em massa] para nos proteger, e as estatísticas são reviradas de forma a declararem  mentiras”, disse ele. “Isso não tem credibilidade aqui no Congresso, não tem credibilidade com este presidente e ela não possui credibilidade com o país.”

Já que você está aqui…

… nós estamos pedindo por um pequeno favor. Diferente de outras organizações, não recebemos dinheiro de governos e nem de empresas. Também não cobramos por acessos às nossas ferramentas. O Partido Pirata é uma organização independente que luta por direitos digitais, o livre compartilhamento de informações, privacidade para as pessoas e transparência de governos e corporações. Somos pessoas voluntárias tentando construir dia após dia o partido e precisamos de dinheiro para colocar algumas ideias em prática e cobrir diversos gastos. Isso requer muito trabalho e fazemos pois acreditamos que a nossa perspectiva importa porque –  também pode ser sua perspectiva.


Deixe uma resposta

Notice: Comments reflect the opionions of those who did wrote theme. Allowing people comment here, doenst mean, that we also agree with them.

Your email address won't be displayed. Required fields are marked with this sign: *

More information